Autor: super-admin

Receitas de peeling caseiro para cada tipo de pele

Receitas de peeling caseiro para cada tipo de pele

Entre os benefícios do peeling caseiro está a prevenção de rugas e flacidez, a formação de colágeno e a melhora da circulação sanguínea da pele

O peeling é uma exfoliação da capa externa da pele, que realizamos para eliminar células mortas que se acumulam e dão um aspecto apagado ao rosto. De fato, diariamente eliminamos mais de 30.000 células mortas da pele.

Entre os benefícios do peeling caseiro está a prevenção de rugas e flacidez, a formação de colágeno e a melhora da circulação sanguínea da pele.

Leia também: Peeling Caseiro como fazer

Vamos te ensinar algumas receitas de peelings para você nem precisar gastar dinheiro com esteticista. Anote!

Como aplicar um peeling?

Aplique um pouco do peeling na região previamente lavada e sem secar, e massageie suavemente em círculos, abrangendo toda a área que quer tratar, evitando as partes sensíveis, tais como o contorno dos olhos. Se o peeling for feito nas coxas ou glúteos, pode-se pressionar estas regiões com um pouco mais de força, até notar que a circulação está se ativando.

Deixe os ingredientes atuarem durante um ou dois minutos e lave com água. A pele ficará hidratada devido ao uso dos óleos que adicionarmos às receitas

Pele seca

Peles secas devem ser esfoliadas com muita suavidade e apenas de quinze em quinze dias. Misture o bicarbonato de sódio com azeite de oliva até que fiquem bem homogêneos, ou seja, que o bicarbonato pareça bem tingido pelo azeite.

Pele mista

Peles mistas tem a complicação de apresentarem regiões oleosas e regiões secas, por isso o peeling deverá ser bem suave. Nesses casos, concentre-se um pouco mais na esfoliação das regiões oleosas, que geralmente são aquelas chamadas regiões T (testa, nariz e queixo).

Pele oleosa

A pele oleosa requer um peeling semanal para limpá-la profundamente. Use como base o açúcar, que é um pouco mais grosso do que o bicarbonato, e o misturare com gel de babosa, preferencialmente natural. Adicionaremos também a casca ralada de um limão e, se tivermos, algumas gotas de óleo essencial de limão.

Pele com acne

Peles com acne precisam ser tratadas com delicadeza, já que a acne caracteriza-se como uma pequena infecção, e convém limpar a pele habitualmente para ajudar a eliminar as impurezas.

Useo bicarbonato de sódio misturado com gel de babosa, algumas gotas de óleo de coco e algumas gotas de óleo essencial de árvore do chá ou de palmarosa.

Resto do corpo

A pele do corpo é menos sensível que a da cútis, por isso é mais interessante utilizar um peeling de ação mais profunda. Use como base o sal grosso, que é ideal para massagear o corpo e ao mesmo tempo combater problemas de circulação, celulite e estrias. Misture óleo de coco e, opcionalmente, com óleo essencial de alecrim, que ajudará a ativar ainda mais a circulação.

Bichectomia: Como é feita, riscos, quanto custa, antes e depois

Bichectomia: Como é feita, riscos, quanto custa, antes e depois

Em busca da aparência perfeita, muitas mulheres optam por cirurgias no rosto, buscando melhorar o contorno facial. Uma delas, bastante feita pelas famosas, é a bichectomia. E se você chegou até este artigo é porque tem interesse, não é mesmo? Continue lendo para tirar suas dúvidas sobre o assunto.

Leia também: Bichectomia recuperação

O que falamos neste post:
O que é bichectomia?
Como é feita a bichectomia?
Quanto custa bichectomia?
Onde fazer bichectomia?
Prós e contras da bichectomia
Riscos da bichectomia
Pós-operatório e recuperação da bichectomia
Antes e depois da bichectomia
Resultados das famosas
O que é bichectomia?
Bichectomia é o procedimento cirúrgico que visa reduzir o tamanho das bochechas, fazendo com que o rosto ganhe uma aparência mais afinada e até mais jovem. Tem esse nome devido ao anatomista Marie François Xavier Bichat que descobriu a área possível de cirurgia na região da bochecha, conhecida desde então como bola ou gordura de Bichat.

Inicialmente, era uma cirurgia indicada para quem morde muito a bochecha devido ao estreitamento do corredor bucal. Atualmente, é uma cirurgia buscada por quem deseja ter o rosto mais magro ou quem deseja mudar a forma do rosto como um todo, deixando-o mais marcado.bichectomia o que é

Fatores como peso (bochechas gordinhas) e envelhecimento (pele um pouco caída) colaboram para bochechas maiores, e, para quem se incomodar com isso, pode ter a bichectomia como solução. Saiba que é um procedimento irreversível, com remoção definitiva. Resultados surgem após 3 semanas e a recuperação total ocorre a partir de 6 meses após a operação.

Como é feita a bichectomia?
A cirurgia consiste na retirada das bolas de bichat, na área das bochechas; dura cerca de 40 minutos a 1 hora. É um procedimento que visa o bem-estar e elevação da autoestima da pessoa. Exige conhecimento sobre a saúde da pessoa anteriormente à cirurgia, assim como qualquer outra; sendo assim, exames são solicitados pelo cirurgião e a saúde do paciente é analisada.bichectomia como é feita

A operação é feita com anestesia, geralmente local, sendo pouco invasiva. Possui uma recuperação considerada rápida e comum, e inchaços e hematomas costumam durar cerca de 5 dias após a operação.

Quanto custa bichectomia?
O valor média de uma bichectomia varia de R$ 5 a R$ 10 mil reais, podendo variar de região para região, como também devido à fama do cirurgião, local da clínica, dentre outros fatores.

Onde fazer bichectomia?
Busque melhores informações com médicos cirurgiões plásticos, clínicas de estética e até consultórios de dentistas. São esses os profissionais que podem fazer a cirurgia, como também lhe indicar o melhor, de pré e pós-operatório.

Prós e contras da bichectomia
As principais vantagens de realizar bichectomia é uma grande chance de atingir os resultados desejados através de uma cirurgia simples, que é redução das bochechas e, consequentemente, elevação da autoestima.

Em contrapartida, é natural que, com o passar do tempo, o volume do rosto (pele) tenda a cair, descer, isso pode gerar flacidez evidente no rosto devido à área que foi retirada, sendo esse o principal contra em realizar a operação. Há relatos de muitas pessoas felizes com o resultado, porém muitas pessoas arrependidas também, principalmente ao atingir maiores idades. Sendo assim, veja se não há outras saídas para seu desejo, como outros procedimentos estéticos, antes de cair na mesa da cirurgia de uma vez.

Riscos da bichectomia
Dentre os riscos possíveis da cirurgia, vale ressaltar que o rosto é um local sensível, de vários nervos e artérias, logo o procedimento pode acarretar em alterações que não se revertem, como paralisia nos lábios; além de infecções e outras complicações.

Pós-operatório e recuperação da bichectomia
É um procedimento rápido e simples, mas ainda assim demanda cuidados pós-operatórios para uma excelente e rápida recuperação. São eles:

Procure não tomar sol em um período de até 7 dias após a cirurgia;
Seu médico poderá lhe prescrever medicamentos para lidar com a dor, portanto tome com cuidado durante os dias recomendados;
Aplique bolsa de gelo no local para lidar com inchaço e evitar novos;
Evite ingerir alimentos duros, crocantes, apimentados e cítricos por no mínimo 48h após a cirurgia;
Dê preferência para alimentos e bebidas gelados.

Massagens redutoras funcionam mesmo?

Massagens redutoras funcionam mesmo?

Elas podem melhorar o contorno corporal, mas sozinhas não são capazes de reduzir a gordura localizada

Leia também: Drenagem Linfática emagrece

Massagens redutoras e modeladoras visam a redução de medidas e melhora do contorno corporal. Mas será que elas conseguem mesmo fazer isso?

Leia também: Kifina funciona

Normalmente as massagens redutoras mobilizam o tecido, tornando-o menos compacto e maleável por estimular sua circulação e assim trazendo aumento do metabolismo local. Além disso, elas funcionam como um reorganizador tecidual: à medida em que as manobras (que muitas vezes são vigorosas, ritmadas e precisas) são realizadas, as moléculas do tecido se movem, o que gera a maleabilidade do tecido. Com isso, elas podem ser feitas em todo o corpo, enfatizando-se as áreas de maior necessidade ou concentração de gordura localizada.

Leia também: Phytophen funciona

Saiba mais: Massagem modeladora: melhora circulação e aspecto do corpo
Massagem redutora não emagrece
É interessante considerar que não há emagrecimento ou perda de gordura realizados por estas massagens, apenas mudança do contorno corporal. Mas a perda desta gordura pode ocorrer em um tratamento multidisciplinar, com mudanças na alimentação, prática de atividade física e investigação de doenças atreladas ao aumento de peso e acúmulo de gordura em áreas específicas.

Leia também: Farinha seca barriga funciona

As massagens redutoras e modeladoras podem ser eficientes e trazem até bons resultados no corpo, desde que haja grande comprometimento do indivíduo que irá se expor ao tratamento completo.

Resultados esperados da massagem redutora
O difícil é determinar o quanto de medidas será perdido e qual aspecto visual encontrado após o tratamento com a massagem modeladora, pois dependerá muito das necessidades apresentadas e do verdadeiro motivo pelo qual o tecido se encontra daquele modo.

Isso será bem estudado a partir de uma criteriosa avaliação, que considerará, inclusive, períodos do mês em que o tecido apresenta-se mais inchado, por exemplo. Necessita-se avaliar se há ou não retenção de líquidos, presença de gorduras localizadas ou diminuição da circulação local, por exemplo, pois as três situações podem estar presentes e interligadas e assim, ao “resolver” uma destas demandas, as outras podem se apresentar de forma menos expressiva ou até inativas.

Normalmente o tecido “mais inflamado” ou ainda aquele que precisa de mais oxigenação, ao receber um estímulo (mesmo simples), apresenta-se mais homogêneo, não por um milagre, mas sim porque a abordagem foi correta e de acordo com a necessidade dele. A mesma coisa ocorre num tecido com circulação local diminuída: ao estimular a melhora de sua circulação, diminui-se a quantidade de líquido retido e consequentemente há perda de medidas locais.

Após um número de sessões traçado para o alcance do objetivo no tratamento proposto, o indivíduo pode fazer manutenções ou se manter ativo ao tratamento a fim de potencializar ou perdurar os resultados. Como opção, é possível manter-se, ao invés de uma ou duas vezes por semana (como durante o tratamento), em intervalos maiores, mas a interrupção total (e até mesmo parcial) pode afetar o resultado depois de um tempo.

Massagens modeladoras machucam?
As massagens apontadas podem não ser recebidas de modo muito confortável, principalmente nas primeiras sessões em que o tecido não está acostumado ao estímulo através das manobras da massagem.

No entanto, essas massagens não precisam ser extremamente dolorosas nem causarem pontos “roxos” nas áreas tratadas, a não ser que o tecido seja muito frágil e mesmo a leveza também traga estes desconfortos. Ainda assim, o aparecimento destes pontos pode indicar um excesso nas manobras propostas utilizadas à este tecido ou até mesmo um dano desnecessário.

É importante considerar que a avaliação do tecido a ser abordado deve ser bem detalhada e considerada na eleição de uma técnica para tratamento. Por exemplo, para tecidos mais flácidos, técnicas como a drenagem linfática manual podem ser uma ótima opção de tratamento e ainda ser eficiente, afastando a possibilidade dos indesejáveis pontos roxos, que podem estar doloridos quando palpados. Tudo dependerá do objetivo que se quer alcançar, por isso o profissional precisa estar habilitado e capacitado tanto para a realização da técnica como para a avaliação e escolha da conduta ideal para cada indivíduo.

COMO ELIMINAR SUAS OLHEIRAS

COMO ELIMINAR SUAS OLHEIRAS

Que chegar ao trabalho com cara de dia seguinte, na ressaca de uma festa ou balada ou mesmo após uma noite mal dormida, com olheiras como um urso panda. Pior ainda, é ostentar sempre esses halos negros em volta dos olhos, que dão aparência de cansaço e envelhecimento.

Para diminuir olheiras, esqueça aquela receita de compressas de chá de camomila da vovó. Em muitos casos, as manchas têm fundo genético. Estas são fáceis de reconhecer: basta olhar para seus pais ou avós.

Mas cigarro, álcool, sedentarismo, privação do sono, asma, rinite e alergias podem contribuir para seu surgimento. Na maior parte dos casos, só o tratamento feito em clínicas dermatológicas ameniza essa chatice.

A hiperpigmentação periorbital (ô nome feio) é causada pela diferença de cor entre a pele da pálpebra e a do resto do rosto.

Há dois tipos de olheiras, a vascular (ligada à presença de uma substância escura chamada hemossiderina) e a melânica, provocada pela concentração de melanina (pigmento que dá cor à pele), embora os dois componentes podem se manifestar na mesma pessoa.

A primeira, associada à herança familiar, pode aparecer precocemente, ainda na infância ou na adolescência, e é mais comum em quem tem ascendência árabe, turca, hindu ou ibérica.

Leia também: Tratamento para olheira

“Nesse tipo de olheira não há mudança da cor da pele, mas a pálpebra fica escurecida por causa da visualização dos vasos dilatados, porque a pele da área dos olhos é bem fina. Além disso, pode ocorrer depósito de hemossiderina que extravasa dos vasos sanguíneos”, explica a dermatologista Daniela Schmidt Pimentel, da Clínica Ephesus, de São Paulo.

Já a olheira predominantemente melânica geralmente ocorre em pessoas mais velhas e com pele morena. Podem, entretanto, aparecer em qualquer tipo de pele, como consequência de excessiva e cumulativa exposição ao sol.

“Outro fator que colabora para o surgimento das olheiras é a anatomia da região ocular”, diz Daniela. “À medida em que a idade avança, pode ocorrer depressão da pele embaixo dos olhos que, associada à flacidez, piora o aspecto das olheiras”, explica a dermatologista.

Os tratamentos, feitos em clínicas dermatológicas, fazem a remoção dos depósitos de hemossiderina ou da melanina, por meio das seguintes alternativas:

Uso de cremes com princípios ativos que têm esta função.
Sessões de laser ou luz pulsada.
Peelings (espécie de esfoliação da pele local).
Uso de protetor solar, já que o sol pode piorar o aspecto das olheiras.
Preenchimento de ácido hialurônico, nos casos de alterações anatômicas.
Em casos menos graves, o uso regular de cosméticos pode amenizar o problema, sem fazer milagres, porém.

“Mas os produtos devem ser formulados especialmente para os olhos”, frisa o dermatologista mineiro Abdo Salomão. “Além de diminuir os sinais de fadiga pela ação de ativos como a cafeína, esses cosméticos também costumam conter substâncias que ajudam a prevenir o surgimento de rugas e pés de galinha, como retinol e vitaminas C e K”, diz o médico.

Uma solução vapt-vupt são os produtos para o contorno dos olhos, do tipo roll-on, com aplicadores de bolinhas metálicas. Fáceis de usar, eles refrescam e massageiam a região, ajudando a ativar a circulação sanguínea e a eliminar o inchaço.

Você pode usar esses produtos pela manhã e à noite, antes de ir para a cama. Passe em volta dos olhos, massageando a região do centro para fora (e não em círculos), e evite as pálpebras superiores. “Essa forma de aplicação favorece a drenagem local e diminui o inchaço”, conclui Salomão.

Entenda a interferência da biotina nos ensaios laboratoriais

Entenda a interferência da biotina nos ensaios laboratoriais

No Fleury, pacientes são orientados a suspender o uso da biotina 72 horas antes da coleta de testes que utilizam a reação biotina-estreptavidina em seu desenho.

O uso de biotina exógena, presente em compostos polivitamínicos e fórmulas para cuidado com os cabelos e as unhas, pode, potencialmente, interferir em qualquer ensaio laboratorial que empregue essa substância em seu desenho. Assim sendo, o Fleury incluiu, nas informações sobre preparo de exames de todos os testes que a utilizam, a sugestão de que o uso de biotina ou de complexos vitamínicos que contenham biotina seja suspenso nas 72 horas que antecedem a coleta de sangue.

Desde 2012, a literatura relata alguns trabalhos que apontam tal interferência, principalmente em dosagens hormonais, o que ganhou reforço, a partir deste ano, com várias publicações que evidenciam essas alterações nos exames de avaliação de função tiroidiana (TSH, T4, T4 livre e T3). Nesses estudos, pacientes que usavam altas doses de biotina apresentaram resultados compatíveis com hipertiroidismo, ou seja, valores elevados de hormônios tiroidianos e valores suprimidos de TSH, mas sem nenhuma manifestação clínica de tirotoxicose.

Leia também: Biotina funciona

De forma prática, o uso de altas doses de biotina aumenta a concentração sérica dessa vitamina, atrapalhando os ensaios baseados na reação biotina-estreptavidina. Quando ensaios imunométricos, ou do tipo sanduíche, são utilizados, as dosagens podem ficar falsamente baixas, o que acontece, por exemplo, com a do TSH. Nos ensaios competitivos, por outro lado, ocorrem valores falsamente elevados, como nas dosagens de T4, T3 e T4 livre. Outros ensaios que empregam a biotina incluem os de FSH, LH, testosterona, ferritina e marcadores tumorais, entre outros.

Convém salientar que, na presença de testes hormonais alterados em pacientes assintomáticos que usam a biotina, a repetição das dosagens após a suspensão da substância deve ser considerada.

Varizes SAÚDE E BEM-ESTAR

Varizes SAÚDE E BEM-ESTAR

As varizes podem ocorrer de forma familiar, quando há predisposição em formar refluxos, ou genética, quando as válvulas localizadas nas veias são pouco resistentes.

As varizes são dilatações que ocorrem nas veias tornando-as tortuosas e alongadas. Ocorrem porque o coração bombeia o sangue para as pernas e pés com muita facilidade, mas o sangue ao sair de tais regiões em direção ao coração necessita fazer grandes esforços contra a gravidade.

Para facilitar o retorno do sangue ao coração, as veias utilizam pequenas válvulas para impedir que o material retorne, fato que provocaria um acúmulo, o que é chamado de refluxo. Quando o refluxo acontece, as veias se dilatam para comportar todo o sangue nelas presente.

Leia também: Varicell Anvisa

As varizes podem ocorrer de forma familiar, quando há predisposição em formar refluxos; ou genética, quando as válvulas localizadas nas veias são pouco resistentes. Também podem ser favorecidas pela gravidez, obesidade e pela forma de trabalho das pessoas.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉
Sente-se queimação nas pernas e pés, inchaço, coceira, inquietação, câimbras, cansaço e fadiga. O diagnóstico é facilmente feito, uma vez que as veias dilatadas permanecem visíveis a olho nu e ainda apresentam coloração azulada, facilitando sua identificação. Também utilizam o ecodoppler venoso para realizar avaliações profundas. O tratamento para as varizes depende de cada caso, mas pode-se utilizar técnicas como: escloroterapia química, cirurgia, laser escleroterapia, laser endovenoso e radiofrequência.

É importante que a avaliação seja feita por um profissional capacitado, já que a automedicação é uma prática bastante perigosa e irresponsável. As varizes podem ser prevenidas a partir de atividades físicas sem o esforço demasiado das pernas e através de meias de compressão.

Suco verde funciona? Tire 9 dúvidas a respeito da bebida queridinha das dietas

Suco verde funciona? Tire 9 dúvidas a respeito da bebida queridinha das dietas

Suco verde funciona? Tire 9 dúvidas a respeito da bebida queridinha das dietas

O número de benefícios do suco verde é equivalente à quantidade de dúvidas que ele levanta. Duas especialistas elucidam as questões mais comuns para você curtir a bebida sem erros
Texto Ana Araujo

Suco verde funciona? Para essas especialistas, sim!

Leia também: Suco verde é bom

Com todo o bafafá em torno da bebida queridinha das dietas, eis que surge a questão: será que o suco verde funciona? Segundo especialistas, sim! E seus benefícios não são poucos: ajuda no funcionamento do intestino graças à riqueza em fibras, possui ação anti-inflamatória e antioxidante, traz as vitaminas A, C, ácido fólico (B9) e K e os minerais cálcio, magnésio e ferro, dá saciedade, ajuda a emagrecer e a limpar o organismo (ufa!).

Leia também: Kifina funciona

Aproveitar essas benesses depende do cuidado na hora de preparar, sendo fundamental usar ingredientes preferencialmente crus e após a higienização.

Leia também: Farinha seca barriga funciona

A seguir, duas especialistas tiram as dúvidas mais comuns quando o assunto é suco verde, confira!

O melhor horário para ingerir o suco verde é de manhã? Verdade.

Essa bebida estimula o sistema imunológico e a produção de insulina o que, na prática, equilibra a fome e dá energia para encarar a rotina – e todos esses benefícios são muitíssimo bem-vindos para começar o dia com o pé direito. Além disso, é neste horário que o corpo está eliminando as toxinas, o que potencializa o efeito detox. “Para aproveitar ainda mais, experimente esperar cerca de 30 minutos antes de comer outros alimentos”, acrescenta Talitta Maciel, nutricionista do Espaço Reeducação Alimentar (SP).

Leia também: Phytophen funciona

+ SUCO VERDE
Receita de suco verde picante
Cardápio funcional: receita de suco verde anti-inflamatório
5 receitas de suco verde que fazem bem à saúde
É preciso beber suco verde em jejum? Depende.

Consumi-lo em jejum, de fato, é a melhor opção. “Após horas sem consumir nada, o organismo está aguardando pela chegada de alimentos, o que facilita a absorção dos nutrientes do suco”, justifica Sara Bragança, médica especializada em Terapia Ortomolecular (RJ). Porém, isso não significa que ele não possa ser ingerido nas demais horas do dia.

É melhor bebê-lo sem coar? Verdade.

Dessa maneira, você aproveita ao máximo as fibras dos ingredientes, aumentando a saciedade.

O suco verde promove detox no organismo? Verdade.

Ele dá aquela força para o fígado na hora de eliminar toxinas do corpo graças aos glicosinolatos, substâncias de ação desintoxicante presentes na couve e outros vegetais verde-escuros. O suco verde, ainda, é rico em vitamina C, antioxidante que combate os radicais livres, ajudando até mesmo na eliminação de substâncias que poderiam proporcionar crescimento de células cancerígenas.

O suco verde ajuda a emagrecer. Verdade.

Mas só ajuda, ok? Para eliminar os quilinhos de verdade, é preciso gastar mais calorias do que se consome. Aqui, ele pode agir de duas maneiras: em primeiro lugar, geralmente, a receita da bebida leva gengibre, que é termogênico e, portanto, leva o corpo a elevar o consumo calórico; por último, ao auxiliar na faxina nas toxinas, o suco verde também acaba ajudando o organismo a trabalhar melhor e eliminar mais gordura. Contudo, é importante saber que, para que tudo isso aconteça, é preciso ter uma alimentação equilibrada.

+ DETOX
Como a Spirulina pode ajudar na perda de peso
Receita light: aprenda a preparar uma tapioca detox
Maçã e couve promovem um efeito detox no organismo
Tudo bem substituir uma refeição pelo suco verde? Mito.

Não faça isso! Mesmo com toda sua riqueza em nutrientes, ele não possui quantidades significativas de proteínas e gorduras boas, fundamentais para o bom funcionamento do organismo. A substituição traz uma série de prejuízos, como perda de massa magra, tonturas, desmaios e até mesmo um quadro de desnutrição.

Congelar os ingredientes leva à perda de nutrientes? Verdade.

Assim que expostos ao ar, os nutrientes passam a perder suas propriedades graças à oxidação. Por isso, o ideal é tomar o suco verde logo após o preparo. Mas, se o tempo anda escasso para fazer uma bebida fresquinha todos os dias, tudo bem recorrer ao freezer, desde que siga alguns cuidados – afinal, é melhor consumir congelado do que não fazê-lo, não é mesmo? “Vale fazer cubinhos verdes com as folhas e até mesmo congelar o suco pronto, mas o processo deve ser bem rápido para que não haja maior perda de nutrientes”, ensina Talitta Maciel.

Tomar suco verde todos os dias pode causar problemas de saúde? Mito.

Desde que você diversifique os ingredientes (e não se encaixe em nenhuma das contraindicações a seguir), tudo bem se deliciar com um copo de 250 ml a 300 ml. Assim, além de não cair na monotonia, você variará os nutrientes ingeridos.

Nem todas pessoas podem beber suco verde. Verdade.

Quem tem problemas de tireoide ou histórico familiar da doença deve limitar o consumo a duas vezes por semana. “Quando consumidas cruas com frequência, folhas verde-escuras, como a couve, atrapalham a absorção de iodo, mineral essencial na produção dos hormônios da tireoide”, justifica Talitta Maciel.